PORQUE SIM


O rapaz diz: "Eu a amo, porque, além de linda, ela tem um jeito todo especial!". A moça afirma: "Eu o amo, porque ele é um homem de caráter íntegro!". A mãe insiste: "Eu o amo, porque ele é meu filho!". O filho argumenta: "Eu a amo, porque ela é minha mãe. Não me gerou no seu ventre, mas me criou com muito carinho!". A amiga diz: "Eu a amo, porque ela é minha confidente!".

As pessoas costumam amar com "porquês" e argumentos. Não há nada de anormal nisso. Afinal, essa é a lógica humana: amar quem merece e provar esse amor por alguém bom.

Mas Deus faz diferente.

"Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores." (Rm 5.7,8)

E Deus, por que nos ama?

Porque somos bons? Porque somos justos? Porque não o traímos?

Ele nos amou sem que fizéssemos algo para merecer. Ele nos chamou enquanto tentávamos nos esconder da Sua face. Jesus morreu por nós antes de sermos filhos de Deus.

Deus nos alcançou com a Sua graça quando ainda éramos escravos.

Diante da magnitude do amor de Deus, eu me pergunto se, de fato, amamos. É fácil amarmos, porque ele (ou ela) merece. Deus nos ama sem porquês. Deus nos ama, porque sim!

É este amor que está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo (Rm 5.5).

É este amor que precisa arder no coração da Igreja:

"Eu o amo mesmo sabendo do seu passado de promiscuidade".

"Ela está perdida, mas eu a amo".

"Eles não merecem, mas eu os amo, porque sim!".